5 de janeiro de 2010

O que ficou da década - Parte 1


Meu amigo Ricardo, que possui o blog Artigolândia, sugeriu que eu contribuísse com as minhas percepções a respeito da década que está encerrando (tecnicamente os anos 2000 encerram-se somente no final de 2010 e não em 2009, mas enfim...), em um contraponto às visões dele.


Ele pediu isso justamente na manhã onde eu estava debruçado escrevendo que não gosto muito de retrospectivas enfadonhas ou melancólicas de réveillon. Tampouco acho que consiga ser intelectualmente categórico interpretando a realidade à minha volta, embora, vocês que me lêem sabem, volta e meia eu também caia nessa armadilha. Por isso, ou apesar disso, vou escrever em cima das minhas idiossincrasias pessoais, daquilo que eu vi e senti nessa última década, sem ter a pretensão de uma imparcialidade descritiva.


Vivi a infância na década de 80, a adolescência nos 90 para me firmar como o que sou hoje nesses últimos 10 anos do novo século. Cada década teve suas características, coisas boas e ruins na política, economia, música, artes. Por isso reluto muito quando ouço expressões como “década perdida” ou “década de ouro”. Em que sentido? Em qual âmbito, nacional ou internacional?


Assim, inicio essa série que terá 3 ou 4 partes (vamos ver até onde vai), onde, cada qual em seu blog, Ricardo e eu discutiremos Cultura/Comportamento, Política/economia e o que mais vocês quiserem. Sintam-se convidados a participar.

Um comentário:

Mandy disse...

Nunca gostei muito disso, sempre que vejo coisas assim, ou leio retrospectivas eu choro. Incrivel. Mas enfim, vou estar aqui pra ler oq vc escrever :)
Feliz Ano Novo!

Bjooos
Mandy